Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

filme #9

por cineteratura100mg, em 01.07.14

As consequências do Amor de Paolo Sorrentino

 

 

De principio tudo parece fazer sentido. Depois há um momento em que algo nos escapa na narrativa e perdemos o pé. Depois tudo é explicado e passa tudo novamente a fazer sentido. 

 

Um homem solitário, com a aparência de um sério homem de negócios que não é mais que um toxicodependente que não acha que o seja, envolvido em negócios com a Cosa Nostra. Apesar da timidez e do esforço que faz para passar o mais despercebido possível acaba por se apaixonar pela empregada do hotel onde vive.

 

Não será um filme de eleição, mas recomendo mesmo assim, pois aparecem algumas ideias interessantes para pensar no decorrer da narrativa e o tipo de filmagem é diferente do habitual , pelo que pode ser uma experiência interessante.

 

 

 

IMDb

 

Um filme de Paolo Sorrentino

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

filme #8

por cineteratura100mg, em 27.06.14

Ferrugem e Osso

 

 

Quando me sentei na cadeira da sala de cinema para ver o filme não sabia o que me esperava e não tinha qualquer expectativa. Por vezes é melhor assim. A mente pré-preparada pode levar-nos a não apreciar a obra como deve ser. Um exemplo: se soubermos que o filme trata de homofobia e formos contra a hbomofobia, poderemos de antemão deixar a nossa mente menos preparada para ver todos os lados da história, ou mesmo deixar de ver a mensagem que nos queriam passar.

 

Ferrugem e Osso é uma história muito poderosa. Bonita. Triste. Por vezes também feia. É uma história de amor pouco comum. É também sobre a sobrevivência mas muito sobre o amor. Mas acima de tudo é sobre pessoas. Quem são as pessoas quando se lhe depara algo ou alguém diferente? Como reagem? Como se sobrevive à diferença? Como se sobrevive à angustia? E à dor? Como se faz para voltar a gostar, a viver, a ser gente? Aceitamo-nos? Aceitam-nos? Perguntas. Tantas perguntas. Na manhã seguinte ainda fazia perguntas.

 

Saí da sala com o nó na garganta e um aperto no estômago. Apetecia-me gritar. Foi como se tivesse trazido um pouco daquela angustia comigo. 

 

Na manhã seguinte o meu primeiro pensamento foi para a história que entretanto ainda me estava a moer por dentro.

 

Não vou colocar sinopse para não ser spoiler. Vão ver, onde quer que possam.  

 

 

  

 

IMDb 

 

 

Um filme de Jacques Audiard

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

filme #7

por cineteratura100mg, em 18.06.14

Clube de Dallas de Jean-Marc Vallée

 

 

A temática do filme é complicada de definir porque são várias as mensagens que vão surgindo no decorrer da história. Percebemos que se trata de um filme sobre homofobia, drogas, HIV e sobre os grandes grupos económicos e a industria farmacêutica.  Acho que era este último o foco do realizador mas com o avançar do filme o que me passa mais pelos olhos e pelos restantes sentidos é a questão da homofobia ainda tão enraizada no nosso mundo, em pleno século XXI. Este filme é quase de época, passa-se nos idos anos 7o mas poderia bem ser por agora. Acho eu, pelo que observo pelo mundo,que ainda há muita gente homofóbica, mesmo que o não admitam. E também que há ainda muita gente pouco informada sobre o HIV. Sobretudo jovens, o que é até  um contrasenso  atendendo a que nunca como agora eles tiveram um acesso total a uma quantidade enorme de informação através da internet e restantes meios de comunicação disponíveis.

 

Achei apesar de tudo, o filme comprido demais, fazendo com que se torne chato e se acabe por perder alguma da atenção despertada no início.

 

De destacar a brilhante performance do Jared Leto. Muito bom num papel difícil de fazer. 

   

 

  

Um filme de Jean-Marc Vallée

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

filme #6

por cineteratura100mg, em 12.06.14

 

Coração de Leão de Dome Karukoski

 

 

 

Este não é um filme que nos passe ao lado. O racismo, a xenofobia, o preconceito e o seguidismo. Tudo isto ainda é realidade em muitos lugares do mundo. O mais assustador é que pode estar à nossa porta e um dia entrar na nossa vida.

 

Eu gosto dos filmes em que a mensagem mais importante é "pensa por ti".   E neste é também essa a mensagem mais importante. Mais importante do que moralizar e levar-nos a ser contra ou a favor da realidade mostrada. Pensa por ti. Observa e vê. 

 

Não vai ser fácil encontrar este filme por aí mas se o virem, não deixem de aproveitar. 

 

Vale muito, muito a pena.

 

 

 

 

Um filme de Dome Karukoski

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

filme #5

por cineteratura100mg, em 23.05.14

O Rapaz do Pijama às Riscas de John Boyne

 

 

Este livro foi um daqueles que me fizeram saltar as emoções por todos os lados. Depois mais tarde vi o filme e na minha opinião o filme é muito bom. Posso dizer que não ficou nada atrás do livro.

 

Uma familia alemã, vai viver para um campo de concentração, porque o pai foi nomeado para trabalhar lá. Têm um filho pequeno que se torna amigo de um judeu que vive do lá de lá... Não conto mais porque quem não viu deve ver. A amizade, mais forte que tudo, sobretudo a das crianças, que são ainda a inocência que vai amenizando o mundo.

 

Aconselho vivamente o livro e o filme. 

 

Sinopse da Wook:

 

Plano Nacional de Leitura
Livro recomendado para o 3º ciclo, destinado a leitura autónoma.

Ao regressar da escola um dia, Bruno constata que as suas coisas estão a ser empacotadas. O seu pai tinha sido promovido no trabalho e toda a família tem de deixar a luxuosa casa onde vivia e mudar-se para outra cidade, onde Bruno não encontra ninguém com quem brincar nem nada para fazer. Pior do que isso, a nova casa é delimitada por uma vedação de arame que se estende a perder de vista e que o isola das pessoas que ele consegue ver, através da janela, do outro lado da vedação, as quais, curiosamente, usam todas um pijama às riscas. Como Bruno adora fazer explorações, certo dia, desobedecendo às ordens expressas do pai, resolve investigar até onde vai a vedação. É então que encontra um rapazinho mais ou menos da sua idade, vestido com o pijama às riscas que ele já tinha observado, e que em breve se torna o seu melhor amigo…
 

 

 

Um filme de Mark Herman

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

filme #4

por cineteratura100mg, em 09.05.14
A Casa dos Espiritos


Em tempos (na verdade há muito tempo) li de seguida vários livros da Isabel Allende. Sempre gostei da forma complicadamente simples de escrever que ela usa nas suas obras. De todos os livros que dele que li o que mais gostei foi sem dúvida A Casa dos Espiritos. Depois, aqui hás uns meses e por um mero acaso, encontrei o livro à venda a um preço convidativo e voltei a ele. Tive algum receio de que ler o livro agora, com outra idade e com a mente bem mais cheia do que há vinte anos atras, me fosse fazer gostar menos do livro. Mas gostei na mesma e arranjei forma de ver o filme baseado no livro para ver se a minha imaginação ia além ou ficava aquém do Billie August. Bem...penso que a minha imaginação foi mesmo muito além! Por isso o filme, como seria de esperar, é apenas uma sombra do livro, não só porque seria necessário um filme de dez horas para mostrar tudo, mas também porque o livro tem por vezes uns arremessos surrealista que o filme não tem, como por exemplo, o Barrabás, um cão gigante.


Mesmo assim, recomendo vivamente o filme, até porque, uma parte foi filmado cá no nosso belo Portugal! 


Um filme de Billie August









Autoria e outros dados (tags, etc)

filme #3

por cineteratura100mg, em 03.05.14

Ensaio sobre a Cegueira

 

 

E se de repente deixassemos todos de ver? Como seria a nossa vida? As nossas relações? O nosso trabalho? A vida quotidiana? Como seria aprender? Ler? Continuaria a haver cinema? Comeriamos o mesmo? Como seria ter filhos?

 

Tantas perguntas a bater-me nas esquinas do cerebro...

 

A mestria de José Saramago na escrita não foi nunca ultrapassada pelo Fernando Meirelles na realização. Mesmo que a imagem valha por mil palavras e sem desprimor do realizador a verdade é que a riqueza da escrita contida nas 300 pagínas do livro não cabe em 121 minutos de filme. 

 

A ver. Eu já vi e já li.

 

 

Um filme de Fernando Meirelles

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

filme #2

por cineteratura100mg, em 19.04.14
A Rapariga que roubava Livros


Nem sempre vejo os filmes que tiveram origem em livros. A explicação para essa minha atitude é que na maioria das vezes o meu imaginário é demasiado diferente do imaginário do realizador e acabo por me desiludir. Quando leio um livro vou construindo imagens, algumas em movimento como num filme, daquilo que vou lendo. Se gosto do que leio fica-me para sempre um gostinho especial cá dento. Fica um carinho especial pelo livro e pelas memórias que me ajudou a construir. Muitas tenho vontade de conhecer as personagens e os lugares, verdadeiros ou inventados, onde se passa a acção. Basicamente é como se eu mesmo tivesse estado presente na história, dentro do livro, tu cá, tu lá, com as personagens.


Neste caso em especifico, resultaram imagens muito fortes da leitura. Mesmo à distância de muitos meses que separaram a leitura do visionamento do filme, as imagens estavam em mim ainda muito nítidas. Por isso quando vi o filme, que até gostei, senti-me ligeiramente defraudada porque estava à espera de uma outra coisa. Não necessariamente melhor ou pior, simplesmente diferente.  É o correr o risco. Corri e correu medianamente bem.


Quando ao filme, gostei que houvesse algum respeito pela narrativa e também dos actores de grande qualidade que foram convidados a integrar o elenco. Nada a apontar. Talvez eu não tivesse posto a personagem principal tão bonita, mas isto sou eu que associo este período de guerra ao frio, ao pó, à sombra e ao negro. 



Um filme de Brian Percival



Autoria e outros dados (tags, etc)

filme #1

por cineteratura100mg, em 15.04.14

Como não estava a conseguir escolher facilmente (e rápidamente) o primeiro filme para postar, decidi fazer uma lista de filmes que vi nos últimos anos recorrendo apenas à memória. Já vou no filme 172º, and counting... Não consegui ultrapassar a dificuldade com este método, asim resolvi pôr já em prática uma ideia que em tempos me pareceu de explorar. Assim, vou postar filmes inspirados em livros de que gostei. Tenciono fazer agora uma série de cinco e depois, mais tarde voltar ao tema.

 

Para começar: The unbearable lightness of being  - A insustentável Leveza do Ser

 

Um filme de Philip Kaufman

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


perfil

 photo 01206fd6-bfa9-48ec-9a24-de0761c942a1_zps232780df.jpg

online


Posts mais comentados